top of page
banner avimig interno.jpg

NOTÍCIAS

Todos alertas e vigilantes na prevenção contra a Influenza Aviária


Os mais diversos setores do agronegócio mineiro estão unidos no fortalecimento de medidas de prevenção, detecção, atuação e recuperação da produção avícola, em caso de eventual ingresso do vírus da Influenza Aviária (IA) no Brasil.

O presidente do Conselho Diretor da Avimig, Antônio Carlos Vasconcelos Costa; os conselheiros Cláudio Faria e Carlos Rivelli, o médico veterinário da entidade, Gustavo Ribeiro, e o presidente do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado de Minas Gerais (Sinpamig), Rodrigo Castro, participaram, nessa segunda-feira (27), de uma importante reunião no auditório da Superintendência Federal de Agricultura e Pecuária de Minas Gerais (SFA-MG), do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), que reuniu representantes de outros 17 órgãos.

O encontro foi coordenado pelo superintendente Federal de Agricultura e Pecuária, Marcílio de Sousa Magalhães e pelo diretor-geral do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), Antônio Carlos de Moraes, e contou, entre outros, com as presenças do subsecretário de Política e Economia Agropecuária, da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa), João Ricardo Albanez, que representou o secretário Thales Fernandes, e da diretora técnica da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Sulivan Alves.

O objetivo da reunião foi deixar claro, a todos os órgãos, a situação epidemiológica mundial da IA e o seu avanço no continente sul-americano, bem como definir, cada qual, o seu papel neste momento de grande preocupação. A palestra de abertura foi feita por Antônio Carlos Vasconcelos Costa, que detalhou os números do setor avícola no estado e no país, dando uma dimensão das trágicas consequências caso a IA chegue ao Brasil, país que ainda está livre da doença.

O evento contou ainda com as palestras da presidente do Comitê Estadual de Sanidade Avícola de Minas Gerais (Coesa-MG), médica veterinária Josiane Tavares de Abreu, e das médicas veterinárias Denise de Magalhães Viegas (SFA-MG) e de Izabella Hergot (IMA), que falaram sobre as ocorrências de casos no mundo, especialmente nas fronteiras do Brasil, e sobre as ações de prevenção já em andamento.

Atualmente, o maior problema é a entrada da IA na América do Sul por rotas de aves migratórias, que representam um risco iminente à produção avícola do Brasil. O país está em alerta máximo em função da recente notificação de focos no Uruguai e Argentina, além dos focos na Bolívia, Colômbia, Equador, Venezuela, Peru e Chile. Tal situação exige o fortalecimento de medidas urgentes.

Participaram do encontro, além da Avimig:

· Advocacia Geral da União (AGU)

· Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA);

· Conselho Regional de Medicina Veterinária de Minas Gerais (CRMV-MG);

· Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater);

· Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama)

· Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA);

· Laboratório Nacional Agropecuário (Lanagro);

· Ministério da Saúde,

· Ministério Público de Minas Gerais;

· Ministério Público Federal;

· Polícia Militar de Meio Ambiente de Minas Gerais (PMMG)

· Polícia Rodoviária Federal,

· Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa)

· Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad)

· Secretaria de Saúde de Minas Gerais;

· Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), vinculado à Federação da Agricultura e Pecuária de Minas Gerais (Faemg);

· Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado de Minas Gerais (Sinpamig);

· Superintendência Federal de Agricultura e Pecuária de Minas Gerais (SFA-MG), do Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa).

15 visualizações0 comentário

Comentários


bottom of page