top of page
banner avimig interno.jpg

NOTÍCIAS

Resíduos de incubatório têm destinação correta na Rio Minas


Uma das maiores preocupações no setor de avicultura, para garantir os processos sustentáveis e minimizar os impactos da atividade na natureza, é a destinação correta dos resíduos de incubatório. Durante o processo de incubação, além das cascas pós eclosão, há rejeitos de pintos mortos, bem como o descarte de ovos inférteis e não eclodidos.

Associada à Avimig, a Granja Rio Minas, localizada na Fazenda Nova Granja, em São José da Lapa (MG), cumpre com rigor todos os cuidados exigidos durante o ciclo de produção, separando os resíduos para recolhimento diário por uma empresa terceirizada. De acordo com o gerente Luiz Alberto Borges, a frente do aviário desde a sua fundação, o recolhimento é de cerda de 3 mil quilos de resíduos/eclosão. “Todo o material é processado e transformado em adubo, tendo como destinação plantações de hortaliças, milho, feijão, entre outros”. A empresa responsável pelo recolhimento dos resíduos é a Beneficiamentos Fonseca, localizada na zona rural do município de Itaúna.

Vale ressaltar que o descarte inadequado desses resíduos sólidos pode provocar a contaminação dos lençóis freáticos. De acordo com a Lei n° 12.300, da Anvisa, a utilização de resíduos sólidos “in natura” como insumo agrícola é expressamente proibida.

Nenhum odor

Com rigidez em todos os processos, na Rio Minas o olfato fica ativo todo o tempo, para não permitir odor em nenhuma das etapas. “Não podemos deixar que qualquer tipo de ave se aproxime do aviário atraída por mau cheiro, como urubus, por exemplo. Portanto, somos muito rígidos com isso. Além de garantir a sanidade, tem o fato de estarmos a cerca de 10 km do Aeroporto Internacional de Confins”, explicou Luiz Alberto Borges, que ressaltou o rigor da Infraero na fiscalização.

Ele fez questão de ressaltar que a granja também realiza o processo de compostagem, com decomposição acelerada e de maneira segura dos resíduos sólidos, para que não haja a disseminação de doenças, além de ter uma Estação de Tratamento de Água, para onde vai toda a água de lavagem dos incubatórios.

Fundada em 1989, a Rio Minas ocupa uma área de 60 hectares dos 700 hectares de área total da fazendo. O início da produção de pintinhos se deu três anos depois da fundação. Com 55 profissionais, o aviário utiliza equipamentos automatizados, sendo os ovos chocados em câmaras com rígido controle informatizado de temperatura e umidade. A capacidade instalada é de 2,9 milhões/mês, mas tem produção diária de 2 milhões de pintinhos/mês. Do total da produção, 60% permanece no mercado mineiro e os outros 40% seguem para o Rio de Janeiro.

Para esta reportagem, estiveram na Granja Rio Minas o médico veterinário e assessor Administrativo da Avimig, Gustavo Fonseca, e a editora da Revista da Avimig, jornalista Maria Helena Dias


Fonte: Avimig

22 visualizações0 comentário
bottom of page