banner avimig interno.jpg

NOTÍCIAS

Entrevista com a médica veterinária Letícia Lopes Rocha - Guabi Nutrição


Há alternativas para minimizar os custos com a dieta das aves - A alta nos preços do milho e do farelo de soja vem fazendo com que produtores de carne de frango e de ovos busquem alternativas para a alimentação das aves. O objetivo é reduzir custos para garantir a manutenção da produção. Foi esse o tema de uma entrevista realizada pela Avimig com a médica veterinária e coordenadora de Produto e Trade Marketing da Guabi Nutrição e Saúde Animal, Letícia Lopes Rocha.


Maria Helena Dias / Jornalista e Editora Revista Avimig


Como o produtor pode adaptar as dietas para atender às necessidades nutricionais das aves de corte e postura neste momento de alto custo dos insumos?

No Brasil, as principais matérias-primas utilizadas na nutrição de aves de corte e postura são o milho e o farelo de soja. Como o preço desses itens têm aumentado muito, é normal que produtores busquem alternativas para substituição. O primeiro ponto que deve ser levado em conta para se realizar substituições de ingredientes na dieta é a disponibilidade de matérias-primas em cada região, já que existem muitas diferentes opções. Por isso, o produtor deve considerar quais as alternativas estão disponíveis em sua localidade. Outro ponto a ser considerado é o preço dessas alternativas, para que o produtor possa calcular se a substituição realmente compensará financeiramente. A análise da qualidade dessas matérias-primas é outro ponto importante. É muito comum encontrar produtos que não apresentam boa qualidade, com grande presença de micotoxinas, o que pode gerar perdas significativas para as criações. O produtor também precisa saber se essa alternativa contém fatores antinutricionais, que podem interferir na absorção de outros nutrientes da dieta.

Quais alternativas de matérias-primas o produtor teria para substituir ou diminuir a quantidade de milho e farelo de soja, que são a base para qualquer concentrado, e melhorar sua rentabilidade?

O farelo de arroz integral pode ser utilizado como substituto do milho. Sua inclusão na dieta variará de acordo com a categoria animal. Para aves de corte na fase inicial, as inclusões recomendadas de F.A.I são de 3% a, no máximo, 8%. Já para aves de corte em crescimento ou aves de postura em produção, este nível vai de 6% a, no máximo, 12%. Níveis de inclusão superiores a 20% não são recomendados pelo fato de o farelo de arroz conter fatores antinutricionais, como os polissacarídeos não amiláceos, que podem interferir na absorção de nutrientes pelas aves e, também, por conter alto nível de gorduras, podendo rancificar. Outra opção para substituição do milho é o sorgo grão baixo tanino. Os níveis de inclusão do sorgo baixo tanino podem variar de 30% a 65% para aves de corte nas diferentes fases de produção e, também, para aves de postura em produção. Vale ressaltar que, para aves de postura, inclusões altas de sorgo baixo tanino na dieta podem influenciar em baixa pigmentação da gema. E, também, em baixa pigmentação da carcaça para frangos de corte caipira, uma vez que este ingrediente tem baixos níveis de xantofilas (uma das substâncias responsáveis pela pigmentação da gema e da carcaça e que é presente no milho), sendo necessária a suplementação com substâncias naturais ou artificiais para obtenção da pigmentação desejada. Altas inclusões de sorgo na dieta geram a necessidade da inclusão de óleos para que a ração alcance o mesmo nível energético da ração formulada com milho e, também, a suplementação de aminoácidos essenciais, principalmente a metionina, uma vez que o nível energético e de aminoácidos do sorgo geralmente é menor que a do milho. Uma boa opção para substituição do farelo de soja são as farinhas de origem animal. A farinha de vísceras, por exemplo, possui um elevado teor proteico, aproximadamente 57% P.B. e pode ser uma excelente opção. Os níveis de inclusão da farinha de vísceras recomendados são de 3% a, no máximo, 7% para aves de corte na fase inicial e de 3% a, no máximo, 8% para aves de corte em crescimento ou aves de postura em produção. Além das matérias-primas citadas, existe uma diversidade de outras opções que podem ser utilizadas, como, por exemplo, o farelo e o gérmen de trigo, a casca de soja, entre outras. Pensando na avicultura alternativa, podemos citar o feijão guandu (grão e a folha), a mandioca, entre outros.


Quais os riscos de uma adequação ou troca alimentar incorreta?

Os principais riscos de uma alteração na dieta das aves feita de maneira incorreta é a perda de desempenho dos animais e, em casos mais severos, uma alimentação inadequada pode gerar sintomas clínicos nos animais e, até mesmo, quadros de mortalidade. Para aves de corte, por exemplo, perdas de desempenho na fase inicial irão refletir diretamente no desempenho final das aves. Esse desempenho não poderá ser recuperado tardiamente. No caso de aves de postura, uma dieta não balanceada pode interferir no percentual de ovos produzidos/ave/dia, no tamanho, peso e massa dos ovos, que também podem ser reduzidos. Para aves em geral, uma mudança incorreta da dieta pode reduzir a imunidade dos animais, o que os deixa mais suscetíveis a doenças. Por isso, se faz necessário o uso de matérias-primas de boa qualidade de maneira balanceada, junto com núcleos de empresas idôneas e respeitadas, para que se ofereça uma ração que trará um ótimo desempenho e mais saúde para os animais.


Para a mudança da alimentação, é necessário que as aves passem por um período de adaptação?

Na maioria das vezes, a substituição do milho e do farelo de soja acontece de maneira parcial, visando evitar possíveis perdas de desempenho. A inclusão das alternativas deve ser feita de maneira controlada, para que as necessidades nutricionais de cada fase de produção sejam atendidas e, assim, seja mantido o desempenho das aves.


Algo mais a acrescentar?

Existem no mercado tecnologias capazes de melhorar o aproveitamento da dieta e, com isso, reduzir os custos de produção. As enzimas são um exemplo, e têm sido cada vez mais utilizadas por melhorarem a absorção de nutrientes. De acordo com o tipo de enzima utilizado, ocorrerá a melhoria da absorção de diferentes nutrientes. Para um bom desenvolvimento das aves e uma boa produtividade, é necessário o uso de matérias-primas de boa qualidade de maneira balanceada, juntamente com núcleos de empresas idôneas e respeitadas, como a Guabi. Uma outra opção para o produtor é o uso de concentrados ou rações prontas. Esses tipos de produtos garantem nutrição completa e facilitam o manejo da propriedade. Para mais informações a respeito da linha de rações e concentrados da linha Sabor e Tradição, acesse www.guabisaboretradição.com.br e a linha de GuabiNúcleos no site www.guabi.com.br.







Crédito fotos: Guabi Nutrição

25 visualizações0 comentário