banner avimig interno.jpg

NOTÍCIAS

Betruca - Missão bem cumprida


Em qualquer segmento de atuação, ser líder exige muito conhecimento e habilidades essenciais para o sucesso do empreendimento. Quando falamos em liderança para a governança cooperativa, as exigências são muito maiores, devido ao grande número de empresas envolvidas e à complexidade de interesses. Por 40 anos, Antônio de Melo Silva, o Betruca, com maestria e muita sabedoria, reunindo todas as qualificações de um excelente gestor, esteve à frente da Cooperativa dos Granjeiros do Oeste de Minas (Cogran). Como um bom empreendedor, ele conquistou a confiança dos produtores, levando um pequeno grupo de avicultores de Pará de Minas (MG) e região – que, no início, só queria vender frangos – a compartilhar, hoje, de um complexo industrial e uma marca com relevância nacional. Depois de todos esses anos, com dedicação quase exclusiva, chegou a hora de ‘passar o bastão’!


A experiência e a visão de negócios, que fazem de Betruca um grande líder, estimado por todos os cooperados e colaboradores da Cogran, começaram a ser adquiridas com muito trabalho, ainda na adolescência. Foi na fazenda de um tio, em São José da Varginha, que aprendeu a trabalhar com a criação de frangos.


Com o tempo, o negócio se solidificou e, juntamente com outros pequenos avicultores, foi possível participar do início das atividades da cooperativa, em 1980, que teve Alfeu Silva Mendes como um dos fundadores. Como presidente da Cogran, Betruca chegou dois anos depois e ficou até 31 de março de 2022.


A despedida da cooperativa, segundo ele, não teve nada de traumática. “Há oito anos, eu comecei a me preparar para deixar o cargo. Trabalhei com muita antecedência a minha saída da Cogran; ficou tudo prontinho. Não houve depressão (risos). Agora, estou cuidando da minha empresa”, disse ele.


Sua dedicação passou a ser a Indústria Maxx Química, fornecedora de produtos de limpeza, localizada no Distrito Industrial II, em Pará de Minas. Com 26 funcionários e dois engenheiros químicos, a indústria e a loja de produtos demandavam, há algum tempo, a atenção exclusiva de Betruca. “Vou apoiar a minha esposa, que é gerente da empresa. Nosso objetivo, agora, é ampliar as vendas da indústria”, disse ele.


Desafios e conquistas


Foram muitas conquistas, nesses 40 anos, como presidente da Cogran, cooperativa que começou com 20 empresas, resultado da necessidade dos produtores de superarem a forte crise econômica da época e driblar os intermediários do negócio. Atualmente, a Cogran conta com 260 cooperados, sendo 71 ativos, e quase 700 funcionários. “A união faz a força. Não tínhamos dinheiro em caixa, tudo era emprestado. A nosso favor, pesou o fato de Pará de Minas ser uma região que favorecia a atividade. E, assim, fomos crescendo”.


Conquistando a confiança do mercado, ganhando novos cooperados, e comercializando frangos vivos para diversas regiões de Minas e do país, a Cogran passou a dar passos mais largos. Com o armazém solidificado, o que fez com que os produtores ficassem livres do domínio das fábricas de ração, a cooperativa continuou avançando, investindo em tecnologia, frota própria, posto de combustível, sede administrativa, silos, compra de terrenos em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Bahia - para a distribuição do frango vivo - e indústrias.


Betruca conta que a compra de um galpão, em 1990, permitiu que fosse montada a fábrica Premix Cogran, um braço forte da cooperativa, que produz alimentação animal de alto nível, com fórmulas personalizadas para atender a todas as fases do manejo de aves, suínos e bovinos. No mesmo ano, outra importante aquisição foi o abatedouro, o que permitiu ampliar, ainda mais, os negócios.


A Gran Campeiro, marca de suíno da cooperativa, foi criada para receber a produção dos cooperados que, além de avicultores, são suinocultores. A indústria é responsável por buscar novos mercados para os 50 produtos desenvolvidos com o processamento de 40 toneladas de suínos por dia.


Nova fase de expansão


Betruca assina a história da Cogran em praticamente todos os seus momentos, mas, mesmo com o orgulho da trajetória, ele é desses gestores exigentes, que sempre acham que poderiam ter feito mais e melhor. Um de seus maiores feitos, Betruca não verá em operação. Quando for inaugurado o Centro de Distribuição (CD), investimento de cerca de R$ 15 milhões, previsto para início de maio, ele não estará mais na presidência. O novo CD, com capacidade para armazenamento de duas mil toneladas de frangos e suínos, possibilitará o fim da terceirização na armazenagem dos produtos.


O Armazém Cogran, que recebe os premixes e distribui para os cooperados, também está em expansão, após 40 anos de atividade. Um novo galpão está sendo construído para a estocagem dos produtos, o que inclui alimentação, medicamentos, vacinas, insumos e acessórios. Com o benefício das compras programadas, o objetivo é ampliar o leque de atendimento a clientes que não são da cooperativa.


Betruca conta que há outros projetos para expansão da Cogran, sendo que alguns já estão prontos para serem executados. É o caso da ampliação do abatedouro, que, atualmente, abate 49 mil aves por dia. Com a expansão, seriam 92 mil abates por dia. Os planos de crescimento incluem a Gran Campeiro, que, hoje, faz o processamento da carne de 450 suínos abatidos por dia.


Sobre a Avimig


A Avimig teve papel muito importante no processo de solidificação da Cogran e é uma entidade, ainda, de grande atuação na cooperativa, apesar de as necessidades da Cogran serem bem menores, atualmente. “É a nossa associação. Se temos um problema, nós recorremos à Avimig. No início, era bem mais. É uma associação que sempre teve bons presidentes. O Antônio Carlos é um ótimo presidente, faz contato conosco sempre. Recebo, constantemente, informações sobre tudo o que está acontecendo no mercado”, disse Betruca.


“Antônio de Melo Silva, o Betruca, sempre desempenhou um trabalho exemplar à frente da Cogran, visando a excelência nos serviços prestados e a qualidade dos produtos ofertados ao mercado. Ao longo dos últimos anos, a Cogran foi uma associada com forte presença e Betruca sempre apoiou as ações da Avimig. Graças a Cogran, o associativismo avícola de Minas Gerais ganhou força, promovendo a evolução da avicultura no estado, que vem alcançando, anualmente, uma posição estratégica no cenário nacional e nas estatísticas do agronegócio do país”, disse o presidente da Avimig, Antônio Carlos Vasconcelos Costa.


Conselho de Administração


“Têm de tentar crescer”. Esse é o conselho de Betruca para o novo Conselho de Administração da Cogran. Ele conta que sua gestão foi democrática, compartilhada com várias pessoas. Diante disso, o seu maior desafio sempre foi tentar convencer as pessoas que era necessário investir para crescer.


O novo Conselho de Administração da Cogran, para o mandato de abril de 2022 a março de 2026, com seis integrantes, tem como presidente Marcelo Amaral Franco, que, há cerca de oito anos, fazia parte do Conselho, e, como diretora, Juliana Lemos Faria Gabriel, que era responsável pela parte Financeira da cooperativa.


Foto: Sérgio Amzalak

1 visualização0 comentário