banner avimig interno.jpg

NOTÍCIAS

Avimig apoia medida para contornar 'operação padrão' de fiscais agropecuários

A Avimig apoia a solicitação feita ao governo federal pelo Fórum ProBrasil - formado pelas principais entidades de produtores e exportadores de proteína animal do país. O pedido feito ao presidente Jair Bolsonaro é de ação emergencial para contornar os reflexos da "operação padrão" dos auditores fiscais federais agropecuários. A categoria está em mobilização para pedir aumento salarial e a realização de concurso público para a contratação de novos agentes.


"Pleiteamos por vossa intervenção na construção de uma solução junto aos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Affas) para essa crise emergente. Sabemos das dificuldades financeiras do país, crise gerada pela pandemia, mas a previsão no orçamento de possibilidade de ajuste da carreira, em decorrência da melhora da condição econômica, já se configuraria em uma valiosa alternativa para contornar tal crise", diz ofício enviado, na semana passada, ao gabinete do presidente e aos ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Agricultura, Tereza Cristina.


O setor, também, sugere alternativas para proteger o fluxo de mercadorias agropecuárias, "como a redução dos prazos para que [os auditores] exerçam suas funções de Estado, e um eventual plano de contingência, em caso de greve, para evitar que se quebre o fluxo de exportações de proteínas", atualmente estimado em US$ 2 bilhões mensais”, destaca o documento.


O presidente do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical), Janus Pablo, pediu a união da categoria pela reestruturação salarial da carreira. "Sabemos que não é tarefa fácil (...) Tentamos de todas as formas evitar esse tipo de enfrentamento. Estamos abertos ao diálogo e à negociação. Juntos, vamos conquistar essa vitória", disse ele.


O documento enviado ao governo federal é assinado por Abiec, Abinpet, Abipesca, ABPA, Abra, Abrafrigo, Sindirações e Ubrabio. O ofício apresenta a "grande apreensão das cadeias produtivas que envolvem a produção de proteína animal do Brasil" associada à operação padrão e comenta os principais impactos "que se acumulam nas várias unidades produtoras do país" com dez dias de mobilização, como o comprometimento de linhas de produção em agroindústrias e atrasos no recebimento de insumos importados.


"Em plena crise econômica, a desaceleração da produção de alimentos poderá se configurar em fator extra para o quadro inflacionário. Ao mesmo tempo, gera um problema crítico para as exportações, impactando severamente custos com armazenagem e outros pontos logísticos. Perdas de janelas de embarques já foram informadas pelos associados, colocando em risco contratos de exportação, geração de divisas e a sustentabilidade das empresas dos setores aqui representados", alerta o texto.


O documento destaca, também, que o pleito da categoria é justo e que, apesar da complexidade que envolve as tratativas de solução da situação, o setor tem "convicção sobre o entendimento dos auditores quanto ao papel social que exercem, assim como crê na construção de uma solução que permita a manutenção do fluxo de produção e exportações para preservar o abastecimento de alimentos no Brasil e nos países importadores, a sustentabilidade econômica e os empregos mantidos por essas cadeias produtiva".

Informações: Valor on-line



11 visualizações0 comentário